Posts Tagged 'Elano'

Por que Elano?

Texto originalmente publicado no sítio: http://www.emcimadalinha.com.br

Quem pode acompanhar o nosso programa domingo percebeu meu “carinho” para com o jogador Elano. Seria muito pertinente, e eu diria até oportunista, depois do jogo de ontem falar: “Eu avisei que ele não joga nada, olha lá o que ele fez”.

Mas não farei! Acho que mais importante que criticá-lo, é tentar expor os motivos que fazem eu tomá-lo como exemplo. Pois claro que deposito, mesmo que de brincadeira, em Elano, parte de minhas frustrações com o futebol brasileiro atual. E ontem, mais que perder um pênalti de forma bisonha, mais que prejudicar o time dele num jogo fantástico, com 9 gols, ele mostrou que mais culpado que ele é quem o colocou “lá”.

Explico melhor, Elano é pereba? Não, não é mesmo. Elano é craque? Elano pode ser um desfalque fundamental em quartas-de-final de Copa do Mundo? Acho que ficou clara a diferença não é mesmo?

Como em tudo no Brasil, no futebol estamos nos acostumando com o “ah tá ruim mas tá bom”. Sim, é um problema socio-cultural que assola a sociedade brasileira. Aceitamos a mediocridade. Sim, nos damos bem com ela, “nos viramos”. Sempre foi assim, mas não no futebol.

Tínhamos orgulho porque no futebol éramos superiores, na “nossa” seleção só jogavam craques. Isso mudou.

Ah não tem mais bobo no futebol? Besteira…vi Peru e Venezuela, ambos times melhoraram, mas ainda são muito inocentes, marcação em linha, espaços gigantes no meio campo. Enfim, pioramos muito mais que nossos adversários melhoraram.

Não sejamos tão profundos, não estou criticando o trabalho de Mano, tampouco estou levando em consideração o resultado da Copa América. O que falo é mais amplo e simples. Pioramos. Simples assim.

É o fim do mundo? Não, acontece, podemos melhorar em breve, podemos ser campeões mundiais com esse time. Então qual o problema?

O problema é alguns “formadores de opinião” e por consequência grande parcela dos torcedores, quererem enfiar na minha cabeça que o Elano é craque, que Felipe Melo não passa de um volante grosso.

Mauro Silva, infinitamente melhor que esses dois era considerado grosso naquela seleção de 94 que todos dizemos que era ruim.

Ficou mais claro agora? Se na seleção que todos criticam, o jogador considerado “solidário”, esforçado, era infinitamente melhor que esses, não tentem me dizer que eles são de alto nível.

Minha crítica não vai ao Elano diretamente, meu problema é com quem falou para ele que ele era tudo isso. Não suporto quem quer me convencer que ganhamos a hora que queremos. Faz tempo que não é assim. Ou andamos querendo de menos…

Perdemos a Copa América, principalmente, para nosso despreparo emocional e nossa soberba. No fundo, Elano, André Santos sabem que são fracos para serem da seleção, e isso pesou na hora da decisão. Os erros nos pênaltis denotam que eles não sabiam enfrentar aquele momento.

E a culpa é só dele? Não, quem os colocou lá tem parte muito maior.

Por fim, não quero transformar o Elano num novo Dunga, no sentido Era Dunga, não seria cruel a tal ponto.

Agora passado um ano não consigo ouvir quando falam, “Ah se o Elano tivesse contra a Holanda a história seria diferente”.

Meus caros, se Elano faz diferença numa SELEÇÃO, ela tem problemas muito maiores do que imagina.

Será possível?

Está cada vez mais difícil confiar na seleção. Não que os jogadores sejam ruins, uns até são fracos demais, mas não por isso.

O que me incomoda é que os jogadores mais controvertidos das listas, tanto as anteriores como a de hoje, são do mesmo empresário, que coincidentemente [?] é o empresário do técnico da seleção brasileira.

Não quero ser leviano, mas fica complicado, confesso que bem complicado justificar algumas convocações.

André Santos permanece lá, Jonas o “pior atacante do mundo” e outros que não têm as mínimas condições de vestirem a camisa da seleção também são chamados.

E renovação? Os jogadores citados acima não demonstram que não há vontade nenhuma de renovar, confesso que quanto mais eu penso sobre o tema, menos explicações futebolísticas eu encontro.

Vamos à lista:

GOLEIROS
Julio César (Inter de Milão) – Sobre ele acho que já disse tudo semana passada, não tem preparo emocional para o posto.
Victor (Grêmio) – Espero que seja titular em breve, disputando posição com Fábio.

LATERAIS
Maicon (Inter de Milão) – Melhor do mundo.
Daniel Alves (Barcelona) – Fica aí no banco e aprende a ter postura.
André Santos (Fenerbahçe) – Não vou comentar mais nada!

ZAGUEIROS
Lúcio (Inter de Milão) – Acho que merece um banquinho, mas é uma lenda.
Thiago Silva (Milan) – Monstro! Joga muito, não tem o que dizer.
David Luiz (Chelsea) – Merecendo uma chance de titular.
Dedé (Vasco) – Vem fazendo jus a uma oportunidade, jovem e muito talentoso.
MEIO-CAMPISTAS
Lucas Leiva (Liverpool) – Para mim um dos que se salvou da Copa América.
Ramires (Chelsea) – Se jogar na sua posição pode render muito, onde está jogando, difícil.
Elias (Atlético de Madri) – Reserva do reserva do Atlético de Madrid, precisa dizer mais?
Ralf (Corinthians) – Bom, muito bom, mas seleção? E qual o empresário dele?
Luiz Gustavo (Bayern de Munique) – Não o conheço, seria leviano dizer algo.
Paulo Henrique Ganso (Santos) – Pode render mais, mas é o nosso camisa 10.
Renato Augusto (Bayer Leverkusen) – Sério? A primeira convocação entendi, mas não rendeu nada e ainda deu uma decaída na Alemanha.
Lucas (São Paulo) – Pode jogar muito mais, mas eu convocaria também.
Fernandinho (Shakthar Donetsk) – Faz tempo que não acompanho, mas não convocaria não.

ATACANTES
Alexandre Pato (Milan) – Meu camisa 9.
Fred (Fluminense) – Tem futebol, mas não confio.
Neymar (Santos) – Craque.
Robinho (Milan) – Quem sabe uma hora vai, mostrou personalidade.
Jonas (Valencia)  – Renovação? Craque? Não dá, não dá…como ele temos uns 15 só no Brasil, mais jovens, com mais poder de finalização e mais estrela.

Agora é ver se conseguimos ganhar a primeira de uma seleção decente, eu já adianto que acho puxado, bem puxado.

Para não dizer que eu só critico, finalmente Elano não foi convocado. Há uma luz no fim do túnel, será que nos livramos dele?

Mais do mesmo

Brasil está fora. Surpresa? Depende.

Bom lembrar que na última Copa a campanha paraguaia mesmo que muito semelhante, acabou sendo melhor que a nossa. Perderam nas quartas, mas fizeram um jogaço contra os campeões mundiais.

Tirando isso, lamentável o que se viu ontem. Mesmo que sendo a melhor atuação da seleção na Copa América, desprezível o comportamento do treinador e de alguns jogadores da seleção.

Você que lê o blog sabe, e se você não tem o hábito mas tem um tempinho agora, dá uma lida nos textos que fiz sobre a seleção. Não precisa olhar tudo, vai ali no canto e clica em seleção brasileira.

Olha o que escrevo sobre André Santos, Elano e Fred. Mediocridade. É a palavra que define esses jogadores, os dois primeiros pelo futebol, o último pelo comportamento.

Fred é talentoso mas é medíocre. Na prorrogação recebe uma bola dentro da área e não mata, tenta uma bicicleta. Sem comentários.

Mas deposito a culpa da derrota em Mano. E tenho a consciência muito tranquila de não parecer aproveitador, pois tudo que eu falei, todas as minhas críticas anteriores à derrota foram vistas ontem.

Sinceramente, nem tem mais o que falar. É isso aí que vimos, um time sem liderança, sem futebol, sem padrão, sem jogada ensaiada.

Sem vitória!

Enquanto tivermos um técnico assim. Enquanto alimentarmos a esperança em jogadores medíocres, não há que se pensar em títulos.

Talvez eu ache que temos talento demais, talvez nossa seleção tenha um nível médio como o futebol paraguaio, talvez na verdade Mano tenha tirado o máximo dos jogadores que levou e levou os melhores que tinha.

Mas confesso que não é o que penso. Seria muito hipócrita vir aqui e dizer, Valeu! Vocês tentaram, suaram a camisa e fizeram tudo que estava ao seu alcance!

Pois não é o que penso.

Para finalizar, um momento diz tudo sobre o que eu acho dessa seleção: Segundo tempo da prorrogação, Brasil tentando pressionar, precisando do gol e o treinador tira Pato, o centroavante e coloca Elano! Pensem bem nisso!

Quando o Elano é o craque…Sei não…

O primeiro post do dia não falará da Libertadores, nem da estreia de Ronaldinho Gaúcho, mas sim de algo que vem me atormentando desde a Copa do Mundo do ano passado.

Ouvi e ainda ouço muito especialista e outros nem tanto dizendo, “Putz se o Elano não tivesse se machucado talvez o Brasil passasse da Holanda”, ou, “Que Copa fez o Elano, jogou muito”. Sério que vocês acham isso?

Pois bem, na minha opinião não mudaria nada se Elano estivesse em campo, tomamos um gol numa falha individual do melor goleiro do mundo na época, e após isso, o time sofreu um apagão mental que fez com que tomasse o segundo. Isso sem entrar nos detalhes de todas trapalhadas que o infeliz do técnico fez durante a preparação para a Copa e, principalmente, durante o jogo. Para mim perdemos o jogo por motivos muito maiores que o Elano.

Tudo bem, passado o ano de 2010 começamos 2011 com um time sobrando, apesar do empate de ontem, o Santos é o melhor time em atividade nesse início de temporada.

E quem está lá, sendo o craque do time, artilheiro do Paulista mesmo sem ser atacante, e considerado até então o melhor jogador em atividade do país? Elano.

E dessa vez eu concordo hein. Ele sobra nos meios de campo dos gramados paulistas.

Resumindo os dois fatos, não há nada de muito melhor no futebol praticado no Brasil do que Elano, aliás, aqui dentro nada de melhor! E aí?!, vocês perguntam.

E eu concluo, e aí que a decadência do nosso futebol é gritante, é alarmante, é triste.

Não tenho nada pessoal contra o Elano não, é um bom jogador, profissional, e aparentemente um cara gente boa. Agora para ser “o cara” não dá! Jogou em times médios para pequenos na Europa sem muito brilho, sem títulos de expressão, e junto com a seleção do Dunga fracassou na Copa do Mundo que disputou.

E para aqueles que acham que jogar num time grande na Europa não quer dizer nada, me perdoem, para um jogador ser considerado só bom, eu até concordo, mas para ser “o” tem que brilhar lá sim!

O que quero dizer no meio disso tudo, e usei o Elano como mártir, é que ironias do destino deixadas de lado, dependemos, hoje, única e exclusivamente dos colegas de Santos, Ganso e Neymar para levar o Brasil a algum lugar.

Aquela história de que fazemos craques aos borbotões não é mais verdade, e nossos supostos craques, não tem sido tão craques assim lá fora.

Acho que está na hora de repensarmos se somos aquilo tudo no futebol mundial ainda, porque quando o Elano é o craque…sei não…


Dois Toques

Lugar que um doido por esporte, principalmente futebol criou para escrever, ler, debater sobre tudo que seja relacionado ao esporte Bretão.

Twitter