Posts Tagged 'Vasco da Gama'

O Verdadeiro Expressinho da o ar da graça

Um pouquinho de história não faz mal a ninguém, não é mesmo?! Então, todos vocês lembram do famoso Expressinho do São Paulo que fez muito sucesso na primeira metade dos anos 90, mas vocês realmente sabem a origem da alcunha?

Pois então, serei breve. De 1942 a 1952, o Clube de Regatas Vasco da Gama dominou o futebol no Brasil, tinha um timaço, tanto que foi base da Seleção Brasileira de 1950 (espaço para piadas com vice e Vasco aqui). E durante esse período surgiu o apelido de Expresso da Vitória. Chamado assim pois atropelava seus adversário atrás das vitórias.

Como era comum naqueles tempos, e foi também na época do Santos de Pelé e Botafogo de Garrincha, os times brasileiros eram chamados para participar de muitos torneios e amistosos na Europa em troca de substanciosas quantias.

Sendo assim, o Expresso da Vitória atravessa o Atlântico para ganhar dinheiro, mas o Vasco precisava por alguém em campo para disputar os Campeonatos aqui no Brasil. E como fez o São Paulo 50 anos depois, o time “reserva” do Vasco ganhava de todo mundo recebendo o apelido de Expressinho.

Para finalizar esse momento histórico, importante ressaltar que dentre todos os feitos dessa esquadra, o Sul-Americano invicto de 1948 é o mais importante e imponente. Anos depois a Comenbol igualou esse título ao da Libertadores, tornando assim o Vasco duas vezes campeão da competição mais importante do Continente.

Por que toda essa lembrança agora? Por mais que seja cedo, e que ninguém sabe nem se o time titular do Vasco ganhará a Copa do Brasil, esse início de Brasileiro com o time reserva vem sendo interessante, e o Clube da Colina tem mostrado grande equilíbrio dentro de seu elenco.

É extremamente cedo para dizer até onde essa equipe pode chegar nesse Campeonato, mas enquanto os favoritos vão tropeçando, o verdadeiro Expressinho vai dando o ar da sua graça.

 

 

Anúncios

A noite de Julinho e o empate merecido

Belo jogo em São Januário, bela atuação do Avaí, e belíssima jornada do ala Julinho. Como o da foto, ele infernizou a defesa adversária pela ponta e ainda fez um golaço com o “pé trocado”.

O Vasco começou bem, mas logo deu para perceber que as costas de Eder Luiz seria o problema. Aquele corredor na lateral direita vascaína foi o ponto alto da partida. Como Julinho jogou naquele corredor. Marquinhos, inteligentemente, abusou de colocar seu ala para correr, era a bola chegar no camisa 10 que ela vinha para a ponta esquerda, e lá era sempre perigo.

O Avaí mesmo com menos posse de bola no primeiro tempo foi mais perigoso e era claro qual seria o caminho catarinense para a vitória no segundo tempo. O Vasco perdeu um gol com um minuto de jogo que pode ter custado caro, Marcinho Guerreiro tirou lindamente uma bola de cabeça quando Renan já estava vendido no lance.

O segundo tempo começou e o Vasco, leia-se Felipe, parecia que ia com tudo para cima e dominou os primeiros 10′, mas foi só, logo a avenida se abriu para Julinho e o Leão foi de novo mais perigoso. Tanto foi que num lance ridículo, num passe errado bisonho de Ramon a bola chegou até o homem do jogo, Julinho driblou o marcador e bateu de direita. Golaço e Avaí 1×0.

Logo depois o Vasco teve uma chance com Ramon e só, depois se apagou. O gol matou o Gigante da Colina. Até que nos acréscimos um pênalti convertido por Diego Souza colocou números finais na partida e manteve a invencibilidade cruzmaltina.

O Vasco jogou mal? Não, mas faltou objetividade, seus homens mais a frente não fizeram uma partida muito boa e isso prejudicou a equipe. E o Avaí? Foi perfeito para aquilo que se propôs. Correu poucos riscos e foi perigoso sempre no ataque.

Agora, na Ressacada, é inegável que o time catarinense é favorito, 0x0 a seu favor, a torcida que sabemos que lá pesa, e mais, um futebol muito bem jogado até agora no campeonato. Mas o confronto não acabou, assim como o Avaí foi perigoso em São Januário o Vasco pode surpreender em Floripa.

Esse é meu balanço do jogo e do confronto.

Não meus caros, não me furtarei a falar da arbitragem. Analisando friamente os lances polêmicos afirmo, baseado no que vi, no que o juiz deu e no que os comentaristas disseram nas transmissões.

1- Mão de Dedé, lance muito duvidoso, a princípio eu daria o pênalti. No entanto, momentos depois houve um lance parecido mas fora da área e a favor do Vasco que ele também não deu. O isenta do erro? Não, mas a coerência denota que ele para dar mão, tem que ser “muita” mão.

2- Ramon puxado na lateral da área, o puxão foi claro, só não consigo estar convicto se aquele puxão foi suficiente para derrubar o jogador vascaíno, lance também duvidoso.

Eu se sou o juiz daria os dois, mas não o condeno por não ter dado nenhum deles, não acho que tenham sido equívocos grosseiros, apenas discordo da sua interpretação.

3- Renan em Ramon, nesse sou obrigado a discordar da arbitragem, na minha opinião foi pênalti claro, o goleiro até vai para dividir, mas acerta o jogador vascaíno, tanto que a bola passa pelo goleiro e a falta cometida impede que o jogador se mantenha em pé e continue a jogada. O goleiro não pode sair levando tudo, se ele faz falta, ela tem que ser dada.

4- Puxão em Élton, quando a fatura parecia liquidada e o Vasco dava bicos para área, o árbitro viu um puxão do zagueiro avaiano no atacante vascaíno. Na verdade eu acho que ele viu isso, pois eu não vi nada. Absolutamente nada, nem ao vivo e nem na repetição.

Fiquei com a amarga impressão que ele compensou, sentiu que errou na primeira e daí compensou errando na segunda. Um erro não justifica o outro, se no final o resultado foi semelhante, não apaga seus erros.

Ele errou, mas não acho que ele tenha sido venal, foi fraco como vários de seus pares. Vi um comentário no twitter dizendo que sempre quando é um time do Sul contra um time de São Paulo ou Rio o árbitro prejudica o time do Sul. Esse rapaz não viu o jogo do Avaí contra o Botafogo na Ressacada? Arbitragem erra, temos que reclamar, cobrar mais preparo, mais profissionalização e mais competência, mas não vamos nos perder.

Agora é esperar semana que vem e ver se o Avaí confirmará seu melhor momento e fará pela primeira vez na sua história a final da Copa do Brasil.

Ps: Twittada deste humilde blogueiro no intervalo da partida @be_marchesini Tá na hora de o Allan marcar se não vai ficar complicado, o time do Avaí é bom. E o Julinho vem jogando mto bem.

Enfim, estava na cara.

Jogou bem, mas contou com o apito amigo

Por pouco, por um golzinho que o Vasco conseguiu a classificação para as oitavas da Copa do Brasil. O time do ABC-RN jogou certinho, bem posicionado o tempo inteiro, aproveitou uma bobeada na lateral direita vascaína e abriu o placar. Posição carente no time da Colina, na noite de ontem preenchida por um jogador de meio campo, Allan.

Mas o time do Vasco vem em um ascendente e pouco a pouco começou a mostrar seu melhor futebol. Começou também a perder uma gol atrás do outro e a preocupar sua torcida. O primeiro tempo acabou assim, 1×0 para o time visitante, e a obrigação da virada para o time cruzmaltino, o empate com gols dava ABC.

O próprio técnico vascaíno, Ricardo Gomes, falou que o time chegou muito tenso no intervalo, pois tinha apenas 45′ para virar o jogo. O time voltou para o segundo tempo sabendo o que tinha que fazer, mas não fazendo. Perdendo um gol atrás do outro. Eis que de repente, o árbitro da partida deu um pênalti, que na minha visão, não houve e ainda por cima expulsou o zagueiro potiguar. Aí facilitou, daí para frente só deu Vasco e o gol de Bernardo, que demorou a acontecer, era questão de tempo.

Não foi o único erro de arbitragem da rodada, como citado nos outros posts, o Chelsea foi prejudicado com o pênalti não dado em Ramires, e a posição de Garcia no primeiro gol do Nacional é no mínimo duvidosa. Mas é inegável que foi o erro que acabou por ser mais decisivo.

O mais provável, pela qualidade do time e pelas circunstâncias da partida era que o Vasco conseguisse fazer os 2 gols necessários, talvez até mais. Mas o fato é que fez 2 e a reclamação potiguar procede.

Como sempre, este blog não gosta de comentar arbitragem, não acho que engrandece o nosso futebol essas discussões, se foi mão ou não, se foi pênalti ou não, mas só uma coisa sobre isso eu gostaria de dizer. Mesmo achando que não houve falta no lance, e que o time do ABC foi prejudicado, não posso aceitar as declarações postadas pelo atacante Leandrão no twitter.

Ele disse “que turista vem ao Rio e não é roubado”. Nem preciso comentar né, preconceituosa, leviana e infeliz a mensagem postada no microblog. E não foi postada direto do campo, então não me venham com essa de cabeça quente.

Na minha quixotesca guerra contra qualquer preconceito, mais um fato lamentável, dessa vez de um jogador de um time nordestino contra o Rio, que triste ironia.

Mas fora essa parte desagradável que, infelizmente, cerca nosso futebol, o time carioca vem crescendo, e seu técnico vem me surpreendendo positivamente. Se não cair do cavalo, o Vasco deve chegar a semi-final e enfrentar o São Paulo, aí sim pedreira de verdade, um time até melhor que ele hoje em dia. No entanto, para isso não pode esquecer de passar pelo Náutico e pelo vencedor de Atlético-PR e Bahia.

 

Troca-troca, melhor para quem?

Com 18 anos ele já era campeão da Champions League e do Torneio Intercontinental de Clubes, ainda disputado no Japão. Depois foi campeão Brasileiro pelo Corinthians em 2005 e colecionou confusões por onde passou.

Estamos falando de Carlos Alberto, jogador extremamente talentoso mas que divide seu currículo entre títulos expressivos e saídas brigadas dos seus clubes.

Mais uma vez, após jurar amor eterno ao Vasco da Gama, vai para o Grêmio após uma discussão com o Presidente do clube e maior ídolo da torcida Roberto Dinamite.

Ao mesmo tempo, segundo informações vindas do próprio clube gaúcho, Leandro, também dono de vasto currículo, estaria indo para o cruzmaltino. Deve fechar hoje. É importante lembrar que Leandro também se desentendeu no Sul e não vinha jogando, além de uma série de lesões que lhe acometeram na temporada passada.

Desta feita, fica a pergunta, quem sai ganhando com essa troca?

Eu tenho certeza que ambos jogadores sairão ganhando. Nenhum dos dois, mesmo muito bons jogadores e possivelmente ainda úteis para seus atuais times, tinham clima para ficar, e assim, a mudança era necessária. O engraçado é que tanto um quanto outro enfrentarão concorrência pesada na nova equipe. Carlos Alberto deverá disputar vaga com Douglas, enquanto Leandro divide a posição com Éder Luis.

Agora se Vasco ou Grêmio, qual dos dois se dará melhor, só o tempo dirá. Se pensarmos que os jogadores estavam afastados e assim não estariam produzindo nada, podemos concluir que os dois se deram bem. Agora se Leandro resolverá o problema de gols que há tempos assola São Januário, ou se Carlos Alberto ajudará a levar o Grêmio para o título da Libertadores, não temos como saber.

Particularmente, penso que os dois times fizeram bom negócio. Leandro demonstrou ao longo de sua carreira a tão falada raça que os vascaínos cobram do elenco atual, e Carlos Alberto, justiça seja feita, não é mais o brigão de outrora, e com o talento indiscutível que possui, pode ser muito importante para o tricolor.

E podem me cobrar mais tarde, tanto gremistas quanto vascaínos, agora estão desconfiados, em dois ou três meses já nem lembrarão mais de onde vieram seus novos ídolos.


Dois Toques

Lugar que um doido por esporte, principalmente futebol criou para escrever, ler, debater sobre tudo que seja relacionado ao esporte Bretão.

Twitter