Posts Tagged 'Avaí'

Agora não dá mais

NARAÇA.jpg (560×460)

Texto originalmente publicado no sítio: http://www.emcimadalinha.com.br

Lamento, mas não vejo. Não vejo mais como o Avaí poderá sair dessa situação. As coisas simplesmente não vêm acontecendo para o Grande Leão da Ilha.

Ontem estava ganhando do Bahia fora de casa, um resultado que poderia colocá-lo de novo na briga para sair da zona do rebaixamento, porém sofreu a virada. Tenho visto este tipo de coisa todo ano, quando as coisas começam a dar errado não adianta, foi assim com Corinthians em 2007, Vasco 2008.

Na verdade vemos todos os anos, mas nos exemplos que citei ficou bem evidente como certas coisas não têm explicação. Jogos fáceis e aparentemente ganhos são perdidos. A torcida abandona, às vezes ela volta, mas sem aquela pegada. É aquele fim de namoro meio modorrento, que ela já não quer mais, mas não sabe como terminar e fica ali, some um tempo, aparece um mês, diz que vai mudar, mas no fundo não muda.

Digo isso, pois achei bem legal o que a torcida avaiana fez no embarque da equipe para Salvador, mas será que não foi tarde? Quantos jogos o time enfrentou com as arquibancadas vazias na Ressacada? Não, seria leviano demais querer culpar a torcida.

Na verdade, achar culpados será o esporte preferido de imprensa, torcida e dos próprios jogadores, mas na minha opinião isso é o de menos. Não importa os motivos que estão levando a equipe da ilha de volta à Série B. Aliás, importam sim, para não cometê-los de novo. Apontar dedos é fácil, mas a verdade é que desde o presidente até o torcedor, todos têm que fazer uma autoavaliação, o que não repetir.

É um texto triste esse, tentei não escrevê-lo, busquei cálculos matemáticos, possibilidades improváveis. No entanto, enquanto os jogadores e torcida devem continuar na luta, aqueles lutando ao máximo dentro do campo, e esta não abandonando a equipe, para a diretoria é imperioso pensar na frente.

Quem comanda o futebol avaiano precisa planejar o ano de 2012 de uma maneira bem diferente do ano de 2011. Até porque, o milagre, se vier, não será obra dos diretores e dirigentes, então que eles façam seu trabalho direito.

Deixo aqui uma pergunta, e essa parceria com o Coritiba, o que trouxe para o Avaí? Eu vejo Emerson convocado, Coxa brigando até o último minuto pela Copa do Brasil, ainda com chances de Libertadores e o título paranaense. E o nosso Leão?

Para mim não dá mais, quero estar muito errado, mas acho que juntamente com o América, o Avaí caiu.

Quem curte Futebol Catarinense, se liga!

Meus caros leitores, eu sei que já disse, mas nunca é demais lembrar. Quem gosta de ler o que escrevo aqui, agora também tem outro lugar onde pode achar minhas “besteiras”. Sobre futebol catarinense escrevo para o http://www.emcimadalinha.com.br o sítio foi ao ar no domingo, está ainda com alguns detalhes a serem melhorados, mas está muito legal.

Domingo tivemos também o primeiro programa Em Cima da Linha, transmitido via web e que também pode ser visto no sítio. Já tem vários textos meus sobre os times que disputam a Série A e Série B do Brasileirão.

Vamos dar uma força para o blogueiro lá, tenho certeza que gostarão.

Mais tarde texto novo aqui no blog.

Valeu pela força de todos!

Tomara que seja para valer!

Ronaldinho Gaúcho reestreou no Campeonato Brasileiro depois de 10 anos. E que estreia. Melhor partida dele com a camisa rubronegra, não só fez um belo gol, como participou de outros dois. E mais, se movimentou, participou da partida, jogou bola!

Sobrou para a boa equipe do Avaí que foi atropelada pelo Flamengo e volta para Florianópolis com uma goleada de 4×0 na conta.

Na primeira etapa, em bela jogada de Galhardo, Botinelli abriu o placar para o time da Gávea. No final do primeiro tempo Rafael Coelho perdeu um gol na frente do goleiro Felipe, o que foi fatal para a equipe Catarinense.

O segundo tempo foi um passeio, literalmente, pois em seu belo gol Ronaldinho entrou passeando na área azul e branca até dar um toque de classe no canto do excelente goleiro Renan. Thiago Neves e Diego Maurício completaram o placar.

Inegável que o foco do time do Avaí é outro, o que não explica o resultado, mas ajuda seu torcedor a não dormir tão triste. É verdade também que esse time do Flamengo almeja muito mais no Brasileiro que o seu adversário de hoje, a vitória nessa rodada era esperada e necessária.

Ainda é cedo para dizermos qualquer coisa, foi só a primeira rodada, porém duas coisas ficaram claras: o Avaí, que pode até ser campeão da Copa do Brasil, tem um time certinho, porém com um elenco um pouco limitado, e participará do Brasileirão desejando permanecer na Série A e no máximo “beliscar” uma vaga na Sul-Americana; já o Flamengo se puder contar com o futebol de Ronaldinho Gaúcho com maior frequência, tornar-se-á um candidato a Copa Libertadores, e por que não ao título.

A foto que vemos nesse post não se repetirá jamais! Ronaldinho não será o que já foi, esqueçam! Agora para ajudar o Flamengo, para ser um dos melhores jogadores do Brasil ele não precisa. Ele pode ser muito útil fazendo o que fez hoje, que convenhamos para ele não foi quase nada.

Tinha várias formas de abordar a partida de hoje, mas confesso para vocês que quando um craque vai bem, não me interessa a camisa que ele veste, eu vou ficar feliz! Quem gosta de futebol de verdade, como eu, vai aplaudir o craque.

Quem torcia contra o Ronaldo só porque ele estava no Corinthians, quem quer que o Gaúcho não jogue bem só por ele estar hoje no Flamengo, tem que repensar seu modo de ver o entretenimento que é o futebol. O futebol é muito maior que o time que você torce, infinitamente maior.

Fui ao Morumbi ver São Paulo e Santos, e meu primo, sãopaulino “doente” foi para ver Neymar e Ganso jogarem. É óbvio que ele preferia que seu time saísse vitorioso, mas não dá para ficar chateado quando o craque dá show, simplesmente não dá.

E é por isso que eu espero que o jogo de hoje seja um estreia para valer, tomara que de uma vez por todas Ronaldinho encontre um pedaço do seu futebol, nós do lado de cá agradeceremos muito.

A noite de Julinho e o empate merecido

Belo jogo em São Januário, bela atuação do Avaí, e belíssima jornada do ala Julinho. Como o da foto, ele infernizou a defesa adversária pela ponta e ainda fez um golaço com o “pé trocado”.

O Vasco começou bem, mas logo deu para perceber que as costas de Eder Luiz seria o problema. Aquele corredor na lateral direita vascaína foi o ponto alto da partida. Como Julinho jogou naquele corredor. Marquinhos, inteligentemente, abusou de colocar seu ala para correr, era a bola chegar no camisa 10 que ela vinha para a ponta esquerda, e lá era sempre perigo.

O Avaí mesmo com menos posse de bola no primeiro tempo foi mais perigoso e era claro qual seria o caminho catarinense para a vitória no segundo tempo. O Vasco perdeu um gol com um minuto de jogo que pode ter custado caro, Marcinho Guerreiro tirou lindamente uma bola de cabeça quando Renan já estava vendido no lance.

O segundo tempo começou e o Vasco, leia-se Felipe, parecia que ia com tudo para cima e dominou os primeiros 10′, mas foi só, logo a avenida se abriu para Julinho e o Leão foi de novo mais perigoso. Tanto foi que num lance ridículo, num passe errado bisonho de Ramon a bola chegou até o homem do jogo, Julinho driblou o marcador e bateu de direita. Golaço e Avaí 1×0.

Logo depois o Vasco teve uma chance com Ramon e só, depois se apagou. O gol matou o Gigante da Colina. Até que nos acréscimos um pênalti convertido por Diego Souza colocou números finais na partida e manteve a invencibilidade cruzmaltina.

O Vasco jogou mal? Não, mas faltou objetividade, seus homens mais a frente não fizeram uma partida muito boa e isso prejudicou a equipe. E o Avaí? Foi perfeito para aquilo que se propôs. Correu poucos riscos e foi perigoso sempre no ataque.

Agora, na Ressacada, é inegável que o time catarinense é favorito, 0x0 a seu favor, a torcida que sabemos que lá pesa, e mais, um futebol muito bem jogado até agora no campeonato. Mas o confronto não acabou, assim como o Avaí foi perigoso em São Januário o Vasco pode surpreender em Floripa.

Esse é meu balanço do jogo e do confronto.

Não meus caros, não me furtarei a falar da arbitragem. Analisando friamente os lances polêmicos afirmo, baseado no que vi, no que o juiz deu e no que os comentaristas disseram nas transmissões.

1- Mão de Dedé, lance muito duvidoso, a princípio eu daria o pênalti. No entanto, momentos depois houve um lance parecido mas fora da área e a favor do Vasco que ele também não deu. O isenta do erro? Não, mas a coerência denota que ele para dar mão, tem que ser “muita” mão.

2- Ramon puxado na lateral da área, o puxão foi claro, só não consigo estar convicto se aquele puxão foi suficiente para derrubar o jogador vascaíno, lance também duvidoso.

Eu se sou o juiz daria os dois, mas não o condeno por não ter dado nenhum deles, não acho que tenham sido equívocos grosseiros, apenas discordo da sua interpretação.

3- Renan em Ramon, nesse sou obrigado a discordar da arbitragem, na minha opinião foi pênalti claro, o goleiro até vai para dividir, mas acerta o jogador vascaíno, tanto que a bola passa pelo goleiro e a falta cometida impede que o jogador se mantenha em pé e continue a jogada. O goleiro não pode sair levando tudo, se ele faz falta, ela tem que ser dada.

4- Puxão em Élton, quando a fatura parecia liquidada e o Vasco dava bicos para área, o árbitro viu um puxão do zagueiro avaiano no atacante vascaíno. Na verdade eu acho que ele viu isso, pois eu não vi nada. Absolutamente nada, nem ao vivo e nem na repetição.

Fiquei com a amarga impressão que ele compensou, sentiu que errou na primeira e daí compensou errando na segunda. Um erro não justifica o outro, se no final o resultado foi semelhante, não apaga seus erros.

Ele errou, mas não acho que ele tenha sido venal, foi fraco como vários de seus pares. Vi um comentário no twitter dizendo que sempre quando é um time do Sul contra um time de São Paulo ou Rio o árbitro prejudica o time do Sul. Esse rapaz não viu o jogo do Avaí contra o Botafogo na Ressacada? Arbitragem erra, temos que reclamar, cobrar mais preparo, mais profissionalização e mais competência, mas não vamos nos perder.

Agora é esperar semana que vem e ver se o Avaí confirmará seu melhor momento e fará pela primeira vez na sua história a final da Copa do Brasil.

Ps: Twittada deste humilde blogueiro no intervalo da partida @be_marchesini Tá na hora de o Allan marcar se não vai ficar complicado, o time do Avaí é bom. E o Julinho vem jogando mto bem.

Enfim, estava na cara.

Foi pouco, mas ainda é favorito

A torcida do São Paulo escolheu seus vilões, em especial o excelente volante Jean. E realmente, se ele acertasse pelo menos uma das várias finalizações que teve a tarefa do tricolor seria muito mais fácil em Floripa na semana que vem. Posso contrariar a todos, mas para mim o culpado não é ele.

O jogo pode ser resumido em poucas linhas. São Paulo ficou 60′ atacando sem parar e perdendo uma chuva interminável de gols. Renan, o bom goleiro do Avaí e Jean foram os principais responsáveis por isso, mas não só.

Depois das alterações o tricolor caiu muito com seu ritmo e o time catarinense conseguiu criar algumas poucas jogadas. Os gols continuaram a ser perdidos pelos paulistas até o final da partida, e o resultado de apenas 1×0 se torna perigoso na Ressacada.

O time do São Paulo joga com três zagueiros, três volantes, um ala esquerdo que só vai na boa e nenhum centroavante. Em casa, contra o Avaí, uma equipe dedicada mas inferior tecnicamente é muita precaução. Não gostei da escalação do Carpegiani. Mas vá lá, o time jogando em alta velocidade conseguia com os volantes vindo de trás criar muitas oportunidades. E aí é que divirjo daqueles que culpam Jean pela a vitória magra. Minha discordância é porque na minha opinião o erro esta na montagem do time, Casemiro que é um jogador com menor poder de marcação e melhor finalização é que deve ser o homem a chegar nessa bola.

Como podem ver, Jean erra porque não é a dele mesmo. Eu no lugar dele ficaria todo dia após o treino chutando no gol, mas enquanto ele não se aprimora, por que não usar quem já sabe? Por qual motivo não é Casemiro que vem para essa bola? Ele sabe jogar aberto na direita, em alguns momentos das partidas cai lá, como fez também pela seleção sub-20.

Outra coisa que não concordo com a torcida tricolor e grande parte da imprensa, é quando dizem que o time perde em velocidade e qualidade quando sai Marlos e entra Rivaldo. Já falei sobre isso, quem tem que andar é a bola, e Rivaldo invariavelmente coloca seus companheiros na cara do gol. Aceito que o time perca em poder de marcação com a sua entrada, mas 3 volantes e 3 zagueiros não dão conta disso? O time tem que ser treinado com essa modificação, pois tenho certeza que pode dar certo.

Inegável só o problema do São Paulo em fazer gol, pois se Revson não faz aquele gol contra, sei não hein, acho que o Leão levava um empatezinho para a Costeira. São Paulo é o favorito, mas foi pouco, muito pouco.

Que é isso Leão?

Esta aí o palco da decisão do Campeonato Catarinense de 2011. Índio Condá é seu nome e é a Chapecoense que decidirá em seus domínios contra o Criciúma quem será o novo campeão. Ontem na final do returno, jogando pelo empate o time do Oeste buscou um 2×0, fez 2×2 e comemorou com sua torcida a classificação para a final.

Não assisti à partida, mas só pelo que li imagino como foi triste o final de tarde na ilha de Santa Catarina. O Avaí buscava o tricampeonato, mas tinha tarefa muito difícil pela frente, a Chapecoense é muito forte em seus domínios. Até aí tudo bem, mas o time de Floripa fez o mais difícil, colocou 2×0 no primeiro tempo.

Rafael Coelho teve a chance de fazer 3 e matar o jogo, desperdiçou e em 3′ Aloísio o artilheiro do Verdão fez 2 gols, empatou o jogo e deixou o título do returno lá em Chapecó.

Os dois times da Série A estão fora da final, ambos chegaram às finais dos turnos, Figueirense no primeiro e agora o Avaí, porém não tiveram capacidade de levar o título para a capital.

Cabe aqui uma análise pormenorizada, trazendo todos os motivos que levaram Chapecoense e Criciúma para a final? Será que o futebol não é mais simples que isso? Para mim, na maioria das vezes, olhem só, o melhor ganha, sem teorias mirabolantes, sem teoremas malucos, simplesmente quem joga melhor vence. A Chapecoense foi a melhor durante todo o returno e no final sagrou-se campeã.

Que os times da capital abram o olho, Série A não é brincadeira, os times não são bons, elencos limitados e a briga para não cair será dura se não se reforçarem.

Mas também não dá para vaticinarmos que eles serão rebaixados, assim como o estadual não serve para dizer que o campeão se sairá bem, não é parâmetro definitivo para dizer que quem não chegar à final irá mal. Dentre vários exemplos temos o Fluminense, atual campeão.

Para mim o pior de tudo não foi o Avaí ficar de fora da final, como já disse, vencer a Chapecoense no Índio Condá não é fácil mesmo, o que deve preocupar os torcedores é a incapacidade do time de segurar um resultado que lhe era muito favorável, isso sim é de se lamentar.

O Avaí enfrenta o São Paulo depois de amanhã pela Copa do Brasil, hora de esquecer a derrota de ontem e focar no campeonato mais importante do primeiro semestre e, enquanto isso, a taça volta para o interior do estado após 2 anos na Costeira.

Furacão em casa não passou de brisa (mais uma vez)

E um manezinho lendo a capa do Diário Catarinense virou para o outro e disse, “Comé que póde né ôô?” e este, Figueira doente disse “Não dá né ô, eu só ti digo uma coisa pa ti ô, eu não te digo mai nada ô”.

Pois é, de novo em pleno Orlando Scarpelli o Furacão fez brisa e está fora da final do segundo turno do Campeonato Catarinense. Agora só lhe resta se preparar para o Brasileiro que inicia mês que vem.

No primeiro turno o time jogava pelo empate em casa para levar o título quando tomou um gol de falta de Mika e viu o Criciúma se garantir na final do Catarinense. Mas nem o mais pessimista alvinegro previa como acabaria o segundo turno. O Avaí veio se arrastando durante toda a fase de classificação, a torcida queria a cabeça do técnico Silas, foi goleado pelo Joinville, não ganhou o clássico na Ressacada e por pouco não se classificou.

Bom, mas como diria Jardel, “Clássico é clássico e vice-versa”. Empolgado com a classificação para as quartas-de-final da Copa do Brasil conquistada em cima do Botafogo no meio de semana, o Avaí não teve medo, atravessou a ponte e com autoridade despachou o maior rival e agora vai em busca do tri.

É realmente intrigante o que acontece com o time do Figueirense. O time se classificou em primeiro no turno anterior, em segundo agora, mas em seus domínios, jogando pelo empate, não consegue o objetivo. Imagino como amanheceu a cidade de Florianópolis hoje, minha ilha querida deve ter amanhecido Azul, se não pelo sol, com certeza pelas camisas avaianas que devem ter enchido o centro da cidade.

Agora o time da Costeira vai a Chapecó e tem que ganhar da Chapecoense para chegar a final contra o Criciúma. Acho que o tri está longe, assisti ao jogo da Chapecoense contra o Joinville e será difícil bater o time do Oeste lá no Índio Condá. Além do mais, passando para a final do Campeonato, não só deicidirá tudo no sul do Estado, como terá no meio disso tudo dois jogos da Copa do Brasil, provavelmente contra o São Paulo. Enfim, tarefa complicada para o time da capital.

Muitos amigos que torcem para o azul e branco me disseram que o Campeonato já pode acabar, a rivalidade é tanta que só ter tirado o Figueirense da chance do título vale mais que qualquer troféu. Mas a maioria quer mais, quer o tri, e quer também avançar na Copa do Brasil, como podem ver a torcida está em lua de mel com o time, e se o Furacão fez brisa, o Leão ruge alto em Santa Catarina.


Dois Toques

Lugar que um doido por esporte, principalmente futebol criou para escrever, ler, debater sobre tudo que seja relacionado ao esporte Bretão.

Twitter